A ASMA PODE SER CONTROLADA

Cuidados são fundamentais para garantir qualidade de vida

 

Dia 21 de junho é o Dia Nacional de Controle da Asma. A comemoração da data tem o objetivo de alertar sobre a necessidade de manter-se a doença sob controle, pois ela é uma das condições crônicas mais comuns, que acomete cerca de 235 milhões de pessoas no mundo todo, segundo a Organização Mundial de Saúde. Estima-se que, no Brasil, cerca de 10% da população sofra com o problema.

Doença inflamatória crônica das vias aéreas, a asma se caracteriza pela dificuldade de respirar quando a pessoa é exposta a agentes alergênicos. O pulmão de uma pessoa asmática é mais sensível, e faz com que fatores como a poeira causem falta de ar, o que não aconteceria em alguém que não tem a doença.

A asma tem diferentes graus de gravidade, que podem evoluir. O grau mais brando tem sintomas leves e com pausa. Ela pode evoluir ao grau 4, em que ocorrem sintomas graves persistentes ao longo do dia, frequentemente durante a noite e várias vezes por semana.

Prevenção e controle são a chave para impedir que os ataques de asma comecem a ocorrer. As medicações de uso contínuo servem para minimizar a sensibilidade e a inflamação às quais os brônquios da pessoa asmática estão sujeitos, fazendo com que os pulmões reajam com menos intensidade aos agentes irritantes, como poeira e ácaros. Diferente dos broncodilatadores, que apenas revertem o quadro de contração do brônquio, os medicamentos contínuos evitam que essas reações aconteçam.

Não há cura para a asma, embora os sintomas costumem melhorar ao longo do tempo. Com autogerenciamento e tratamento apropriados, a maioria dos asmáticos pode levar uma vida normal.